WeCreativez WhatsApp Support
Vamos agendar Sua Consulta?
Olá! Como Posso Ajudar? 😉

Rouquidão, porque devo me preocupar?

A rouquidão pode ser causada por diversas doenças que podem afetar a laringe e causar a disfonia (que é uma expressão médica que significa alteração na produção e qualidade da voz).

Esta rouquidão pode apresentar-se de forma rápida e passageira ou progressiva e definitiva. A rouquidão pode significar desde uma doença benigna até mesmo uma enfermidade de natureza mais agressiva como o câncer de laringe.

No mundo globalizado e cheio de tecnologias, as pessoas usam frequentemente a voz como instrumento do seu trabalho e comunicação interpessoal e as alterações na qualidade vocal é sempre um sinal de problemas e que devemos precocemente investigar a sua causa.

 A rouquidão passageira geralmente está relacionado às gripes e resfriados. Em épocas de pandemia do COVID -19, pesquisadores do King´s College em Londres, identificaram entre os portadores do novo Coronavírus uma gama de diferentes sintomas que podem surgir e dentre estes a rouquidão pode estar presente.

A voz rouca é um sintoma de algo anormal para o nosso corpo, e não deve ser sempre considerada como uma casualidade passageira. Algumas situações podem desencadear a rouquidão constante que pode permanecer por dias, meses e até anos,  podem estar ou não acompanhada de tosse, dor, pigarro e outros sintomas. Dentre as enfermidades benignas mais frequentes na laringe que podem desencadear disfonia e que se apresentam como lesões nas pregas vocais podemos citar:

  • Os nódulos (popularmente conhecidos como calos na corda vocal),
  • Pólipos,
  • Cistos,
  • Granulomas,
  • Edema de Reinke.

Estas lesões podem ser causadas pelo uso constante  da voz de maneira inapropriada e/ou hábitos de vida não saudáveis (falar alto, pigarrear, pouca ingesta de líquidos durante o dia, consumo de cigarro e bebida alcoólica em excesso). Ainda como enfermidades que podem acometer a laringe causando rouquidão e tendo um comportamento mais recidivante, em alguns casos, podemos citar:

  • Papilomatose Laríngea, atribuída ao vírus do papiloma humano (HPV),  
  • Leucoplasias (atribuída ao uso do tabaco, bebida alcoólica, refluxo faringolaríngeo e uso inadequado da voz).

A Leucoplasia é considerada uma lesão pré-maligna, ou seja, uma enfermidade que poderá evoluir à malignidade.

De modo geral o tabagismo é o grande vilão das pregas vocais e quando associado ao excesso de bebida alcoólica, refluxo faringolaríngeo poderá desencadear efeitos adversos na saúde vocal.

O ato de consumir diariamente o tabaco faz com que  as substâncias cancerígenas presentes na sua fumaça entrem em contato diretamente na mucosa da laringe, principalmente nas pregas vocais, sendo o cigarro o principal fator de risco para câncer de laringe. Lembrar que o consumo de tabaco poderá acometer também as pessoas que não fumam, mas que convivem com o fumante.

A rouquidão é o principal sintoma quando a lesão acomete a corda vocal, a sua identificação precoce determinará não somente um tratamento eficaz como a manutenção da voz. Um dos graves problemas dos nossos pacientes que fumam e que negligenciam o sintoma da rouquidão (que persiste por dias ou meses até procurar o primeiro atendimento médico) é que muitas vezes chegam ao nosso consultório quando a doença já está avançada, e isto poderá significar a perda da laringe.

Então, quando devemos nos preocupar com o sintoma da rouquidão?

  • Em situação em que a rouquidão durar mais do que 2 semanas;
  • a voz tornar-se mais grave ou aguda, cansada, tremula ou fraca;
  • quando ocorrer mudança súbita  na qualidade da voz;
  • quando houver um grande esforço para falar,
  • quando a rouquidão estiver associada a dificuldade para respirar,
  • quando a rouquidão prejudicar o exercício da sua profissão ou a qualidade de vida do paciente.

Não deixe de  procurar um especialista (Otorrinolaringologista ou Cirurgião de Cabeça e Pescoço) para  que faça um diagnóstico e tratamento.

Lembre-se quanto mais precoce for o diagnóstico, melhores são as chances de cura, sua voz agradece.

Dr. Francisco Amorim, CRM 14221  Diretor Técnico do Instituto da Tireoide & Laringe.