Instituto da Tireoide e Laringe

Estenose laringotraqueal: enfrentando o diagnóstico com informação e apoio

Se você foi informado de que precisa realizar um procedimento para tratar a estenose laringotraqueal e está cheio de dúvidas e inseguranças, saiba que isso é perfeitamente normal. Para ajudá-lo a se sentir mais seguro e informado sobre o assunto, o Dr. Francisco Amorim elaborou o seguinte texto. 

 A estenose laringotraqueal é uma condição caracterizada pelo estreitamento da laringe (a parte da garganta que contém as cordas vocais) e da traqueia (o tubo que conecta a laringe aos brônquios dos pulmões). Esse estreitamento pode dificultar a passagem do ar, causando problemas respiratórios que variam de leves a graves, dependendo da extensão e da localização do estreitamento. 

 Entender a Estenose Laringotraqueal é importante para pacientes e suas famílias, posto que essa condição impacta a saúde e qualidade de vida do paciente. 

 

Conheça as causas da estenose laringotraqueal.

 As causas da estenose laringotraqueal podem ser divididas em congênitas (presentes desde o nascimento) e adquiridas (desenvolvidas ao longo da vida). Abaixo estão as principais causas associadas a cada tipo: 

 Causas Congênitas 

  • Anormalidades de Desenvolvimento: algumas crianças nascem com estruturas da laringe ou da traqueia anormalmente estreitas ou malformadas. 
  • Malformações Vasculares: certas malformações dos vasos sanguíneos no pescoço podem exercer pressão sobre a laringe ou traqueia, causando estreitamento. 

 

Causas Adquiridas 

  • Malformações Vasculares: certas malformações dos vasos sanguíneos no pescoço podem exercer pressão sobre a laringe ou traqueia, causando estreitamento. 
  • Trauma Externo: lesões no pescoço, como aquelas causadas por acidentes de carro ou outros impactos diretos, podem danificar a laringe ou traqueia. 
  • Queimaduras por Inalação: a inalação de fumaça quente ou substâncias químicas pode causar queimaduras internas que levam à formação de tecido cicatricial e estreitamento. 
  • Cirurgias Prévias: procedimentos cirúrgicos na laringe, traqueia ou áreas próximas podem resultar em cicatrização e estreitamento. 

 

 Entenda quais são os sintomas que levam ao diagnóstico de estenose laringotraqueal 

 Os sintomas da estenose laringotraqueal variam conforme a gravidade e a localização do estreitamento na laringe ou traqueia. Eles podem se desenvolver gradualmente à medida que o estreitamento progride ou aparecer subitamente em casos mais graves. Os sintomas mais comuns incluem: 

 

  • Dificuldade Respiratória (Dispnéia): pode ser mais evidente durante atividades físicas ou sob estresse, mas também pode ocorrer em repouso em casos graves. 
  • Ruído ao Respirar (Estridor): um som agudo que ocorre durante a inspiração ou expiração, indicando obstrução do fluxo de ar nas vias aéreas superiores. 
  • Tosse: pode ser uma tosse seca ou produtiva, frequentemente como resposta à irritação ou ao esforço para limpar a via aérea. 
  • Mudanças na Voz: rouquidão ou perda da voz pode ocorrer devido ao envolvimento da laringe. 
  • Cianose: coloração azulada da pele e das mucosas, especialmente nos lábios e nas unhas, devido à redução da oxigenação do sangue (em casos muito graves). 
  • Fadiga: devido ao esforço aumentado para respirar e à redução da oxigenação eficaz. 
  • Infecções Respiratórias Recorrentes: devido à dificuldade em limpar completamente as vias aéreas, o que pode levar ao acúmulo de secreções e ao aumento do risco de infecções. 

 

A gravidade dos sintomas pode variar significativamente de pessoa para pessoa. Em alguns casos, a estenose laringotraqueal pode não causar sintomas notáveis até que o estreitamento alcance um ponto crítico. Por isso, é importante buscar avaliação médica ao notar quaisquer sinais ou sintomas persistentes relacionados à respiração ou à voz, permitindo um diagnóstico e tratamento adequados. 

 

Descubra as opções de tratamento para estenose laringotraqueal. 

 O tratamento para estenose laringotraqueal varia de acordo com a severidade do estreitamento, sua localização, as causas subjacentes, e a presença de sintomas. O objetivo é restaurar a potência adequada das vias aéreas, melhorar a respiração, e, quando possível, preservar a função vocal. Aqui estão as principais opções de tratamento: 

Tratamentos Cirúrgicos 

 Ressecção Cirúrgica: envolve a remoção da parte estreitada da traqueia ou laringe e a reconexão das partes saudáveis. Este procedimento é indicado para casos de estenose localizada e pode restaurar a função normal da via aérea. 

 Reconstrução Laringotraqueal: em casos mais complexos, pode-se realizar uma reconstrução da laringe ou traqueia, utilizando enxertos de tecido para alargar a área estreitada. 

 Traqueostomia: para casos severos ou quando outros tratamentos não são viáveis, uma traqueostomia pode ser necessária para garantir uma via aérea segura. Este procedimento pode ser temporário ou permanente, dependendo da gravidade da condição. 

 

Vantagens dos tratamentos cirúrgicos 

 Os tratamentos cirúrgicos para estenose laringotraqueal oferecem várias vantagens, especialmente em casos de estenose moderada a grave ou quando as opções não cirúrgicas não fornecem alívio adequado ou duradouro. Aqui estão algumas das principais vantagens dos procedimentos cirúrgicos: 

 

  • Resolução Direta do Estreitamento: a cirurgia permite remover ou corrigir diretamente a área estreitada, proporcionando uma solução mais definitiva para restaurar a patência da via aérea. 

 

  • Alívio dos Sintomas: a cirurgia pode oferecer alívio imediato e significativo dos sintomas respiratórios, como dificuldade para respirar e estridor, melhorando significativamente a qualidade de vida do paciente. 

 

  • Redução do Risco de Infecções Respiratórias: ao melhorar a patência da via aérea, a cirurgia pode ajudar a reduzir o risco de infecções respiratórias recorrentes causadas pelo acúmulo de secreções. 

 

  • Soluções de Longo Prazo: diferentemente de algumas opções não cirúrgicas que podem oferecer alívio temporário, as cirurgias visam corrigir a estenose de maneira duradoura, potencialmente eliminando a necessidade de intervenções futuras. 

 

  • Abordagens Personalizadas: os procedimentos cirúrgicos podem ser adaptados especificamente à localização e à extensão da estenose, bem como às necessidades individuais do paciente, proporcionando um tratamento mais personalizado. 

 

Tratamentos não cirúrgicos 

 Terapia de Dilatação: utiliza-se instrumentos especiais ou balões para dilatar (alargar) a área estreitada da traqueia ou laringe. Este procedimento pode precisar ser repetido para manter a via aérea aberta. 

 Estentamento: em alguns casos, pode-se inserir um stent (tubo) na laringe ou traqueia para manter a via aérea aberta. Os stents podem ser temporários ou permanentes, dependendo da situação. 

 O plano de tratamento ideal varia para cada paciente e deve ser discutido com um médico especialista, como um otorrinolaringologista ou um cirurgião de cabeça e pescoço, que pode avaliar a condição específica do paciente e recomendar a melhor abordagem de tratamento. 

 A seleção do tratamento depende de vários fatores, incluindo a idade do paciente, saúde geral, extensão e localização da estenose, e a causa subjacente da condição. 

 

Como é o pré-operatório de estenose laringotraqueal 

 Preparar-se adequadamente para uma cirurgia de remoção laringotraqueal é fundamental para o sucesso do procedimento e a recuperação pós-operatória. Aqui estão algumas recomendações que os pacientes devem seguir no pré-operatório:

Jejum: geralmente, é necessário jejum de 8 a 12 horas antes da cirurgia para evitar complicações durante a anestesia. 

Parar de Fumar: é essencial parar de fumar várias semanas antes da cirurgia para promover uma melhor cicatrização e reduzir o risco de complicações respiratórias. 

Alimentação Saudável: uma dieta equilibrada pode ajudar a fortalecer o sistema imunológico antes da operação. 

Acompanhamento Médico: é de extrema importância seguir todas as instruções fornecidas pelo médico cirurgião responsável por seu tratamento. 

 

Como é o pós-operatório 

 Após uma cirurgia para tratar estenose laringotraqueal, é essencial seguir cuidadosamente as orientações pós-operatórias dadas pelo cirurgião para garantir uma recuperação bem-sucedida e minimizar o risco de complicações. Aqui estão os cuidados pós-operatórios recomendados:

Acompanhamento Regular: consultas de acompanhamento são essenciais para monitorar a cicatrização e a função da via aérea. 

Atenção a Sinais de Complicação: fique atento a sinais de infecção, sangramento, dificuldade respiratória ou qualquer alteração no estado geral de saúde e comunique imediatamente ao médico. 

Limpeza e Cuidado da Incisão: siga as instruções do seu médico sobre como cuidar da área operada para evitar infecções. 

Evitar Atividades que Causam Tensão: evite levantar objetos pesados ou realizar atividades que possam pressionar a área da cirurgia. 

Não Fumar: é essencial evitar o uso de tabaco, pois ele pode comprometer a cicatrização e a função pulmonar. 

Dieta Leve: inicialmente, pode ser recomendado uma dieta líquida ou pastosa para evitar esforço ao engolir. 

É importante seguir todas as orientações médicas específicas fornecidas pelo seu cirurgião e equipe de saúde, pois elas podem variar de acordo com os detalhes do seu procedimento e sua condição individual. A adesão estrita a estas recomendações pós-operatórias é fundamental para uma recuperação segura e eficaz. 

 

FAQ – Perguntas Frequentes 

 

  1. Qual o tempo de recuperação esperado?

O tempo de recuperação após uma cirurgia para tratar estenose laringotraqueal pode variar significativamente, dependendo de vários fatores, incluindo a extensão da cirurgia, a técnica cirúrgica utilizada, a presença de complicações durante ou após a cirurgia, e a saúde geral do paciente. Aqui estão algumas orientações gerais sobre o tempo de recuperação: 

  • Atividades Leves: muitos pacientes começam a retomar atividades leves dentro de 2 a 4 semanas após a cirurgia, mas isso pode variar. 
  • Retorno ao Trabalho: o retorno ao trabalho pode ocorrer de 4 a 6 semanas após a cirurgia para trabalhos de escritório ou outros empregos não físicos. Para trabalhos que exigem esforço físico maior, pode ser necessário um período de recuperação mais longo. 
  • Recuperação Completa: a recuperação completa, incluindo a cicatrização total e a estabilização da função respiratória ou vocal, pode levar de vários meses a um ano. A terapia de fala ou exercícios respiratórios podem ser necessários durante esse período para maximizar a recuperação funcional. 

 

  1. A Estenose Laringotraqueal é segura?

Uma cirurgia para tratar estenose laringotraqueal, como qualquer procedimento cirúrgico, envolve certos riscos e potenciais complicações. No entanto, quando realizada por uma equipe médica especializada, incluindo cirurgiões experientes em procedimentos de vias aéreas, e em um centro médico equipado para tais intervenções, é considerada segura e eficaz para a maioria dos pacientes. 

 

  1. Como essa cirurgia pode melhorar minha qualidade de vida?

A cirurgia para tratar estenose laringotraqueal pode significativamente melhorar a qualidade de vida de pacientes que sofrem com essa condição, principalmente através da resolução ou do alívio dos sintomas respiratórios. Aqui estão algumas das maneiras pelas quais esta cirurgia pode impactar positivamente sua qualidade de vida: 

  • Alívio da Dificuldade Respiratória: a cirurgia pode remover o estreitamento das vias aéreas, proporcionando alívio imediato da dificuldade respiratória, especialmente durante atividades físicas ou ao dormir. 
  • Redução do Estridor: ao alargar as vias aéreas estreitadas, a cirurgia pode diminuir ou eliminar o ruído respiratório (estridor), que é comum em casos de estenose significativa. 
  • Redução da Apneia do Sono e Melhoria do Sono: pacientes com estenose laringotraqueal muitas vezes experimentam apneia do sono ou têm qualidade de sono pobre devido à dificuldade respiratória. A cirurgia pode melhorar significativamente estes aspectos. 
  • Restauração ou Melhoria da Função Vocal: quando a estenose laringotraqueal afeta a voz, a cirurgia pode também ter como objetivo melhorar a qualidade vocal, facilitando a comunicação. 
  • Aumento da Tolerância ao Exercício: com a melhoria da função respiratória, os pacientes muitas vezes encontram uma nova capacidade para realizar exercícios e atividades físicas, o que pode melhorar a saúde geral e o bem-estar. 

Dr. Francisco Amorim   CRM 14221
Cirurgião de Cabeça e Pescoço
Diretor Técnico do Instituto da Tireoide & Laringe

Abrir bate-papo
Olá, Precisa de ajuda?